quarta-feira, 26 de Setembro de 2012

Sobre Fernao Mendes Pinto, Peregrinacao. Vídeos relativos à obra do escritor.

Parte 1
Parte 2

Parte 3
Parte 4
Parte 5

segunda-feira, 3 de Maio de 2010

O Hábito de pensar

Este nosso problema é uma manifestação de um diagnóstico já antigo e muito mais vasto que a dívida lusitana. "A grande tradição intelectual que chegou até nós, desde Pitágoras e Platão, nunca se interrompeu ou perdeu com bagatelas como o saque de Roma, o triunfo de Átila ou todas as invasões bárbaras da idade das trevas. Apenas se perdeu após a introdução da imprensa, o descobrimento da América, a fundação da Royal Society e todo o progresso do Renascimento e do mundo moderno. Foi aí, se o foi em qualquer parte, que se perdeu ou se quebrou o longo fio, fino e delicado, que vinha desde a antiguidade remota. O fio dessa rara mania dos homens - o hábito de pensar" (G. K. Chesterton, 1933, St. Thomas Aquinas, cap. III).

DN

quinta-feira, 15 de Abril de 2010

Artigos de jornal

Já não suporto opiniões. Palpites. Tolices. Vaidades! A opinião tornou-se um acto sem ouvintes.

Mas esta é diferente. É da proximidade com a Verdade.

Deslaçamento.

quinta-feira, 8 de Abril de 2010

O chamado liberalismo, esse entendia ele. «Reduz-se» dizia «a
duas coisas, duvidar e destruir por princípio, adquirir e enriquecer
por fim: é uma seita toda material em que a carne domina e o espírito
serve; tem muita força para o mal; bem verdadeiro, real e perdurável,
não o pode fazer. Curar com uma revolução liberal um
país estragado, como são todos os da Europa, é sangrar um tísico: a
falta de sangue diminui as ânsias do pulmão por algum tempo, mas
as forças vão-se, e a morte é mais certa.»

Almeida Garret, 1846
Viagens na Minha Terra

terça-feira, 6 de Abril de 2010

(1438-1440)
Paolo Ucelllo

segunda-feira, 1 de Março de 2010

Serenata Monumental 2005

Vídeos da serenata monumental da Queima da Fitas de 2005, em que se registaram, com alguma estranheza, duas baladas da despedida.

Balada da Despedida do VI ano médico




Balada da Despedida V ano jurídico



Fado dos Beijos

domingo, 5 de Julho de 2009

Falas de civilização, e de não dever ser,
Ou de não dever ser assim.
Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos,
Com as coisas humanas postas desta maneira,
Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.
Dizes que se fossem como tu queres, seriam melhor.
Escuto sem te ouvir.
Para que te quereria eu ouvir?
Ouvindo-te nada ficaria sabendo.
Se as coisas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo.
Se as coisas fossem como tu queres, seriam só como tu queres.
Ai de ti e de todos os que levam a vida
A querer inventar a máquina de fazer felicidade.

Alberto Caeiro

Ah! Querem uma luz melhor que a do Sol!
Querem prados mais verdes do que estes!
Querem flores mais belas do que estas que vejo!
A mim este Sol, estes prados, estas flores contentam-me.
Mas, se acaso me descontentam,
O que quero é um sol mais sol
Que o Sol,
O que quero é prados mais prados do que estes prados,
O que quero é flores mais flores que estas flores -
Tudo mais ideal do que é do mesmo modo e da mesma maneira!

Alberto Caeiro